Sós mas bem acompanhados | Retiro KINERGIA

foto

Quando começamos a pensar no Retiro KINERGIA à um mês instalou-se o nervoso miudinho porque os objectivos eram profundos. Tinha-mos uma mensagem para entregar: “AMEM-SE COM ENERGIA”. E a partir daqui começamos a construir peça por peça deste retiro para colocar cada um dos participantes numa posição de poder pessoal que lhes permitisse dar o salto quântico em direcção a uma vida com sentido.

Na sexta-feira, chegamos no limite do tempo e com os nervos à flor da pele, parecia que tudo nos queria atrapalhar. Corremos para a sala montar aquilo que seria o nosso “templo” durante o fim-de-semana.

O grupo chegou, fomos jantar e a partir das 21:30 começamos a trilhar o caminho que tinha sido planeado. As nossas expectativas foram completamente arrasadas, a intensidade com que o grupo se entregou na partilha da sua história tornou a primeira noite arrebatadora.

Com o grupo formado, tivemos a partir daqui matéria para trabalhar durante o fim-de-semana, emoções, fracassos, estagnações, injustiças, traumas e perdas. Depois do RX do próprio estado, podemos entregar o remédio que se chama OPÇÃO! Opção de mudar, de sentir, de procurar novos caminhos, de fazer diferente.

Para quem não sabe um retiro é uma experiência muito intensa que põe em palco todas as nossas sensações e emoções e com isso nós já estávamos a contar. Ainda assim nada se compara aquilo que foi vivido nestes três dias.

Obrigado pela vossa entrega,

AMEM-SE COM ENERGIA

Catarina & Rui

Perda de Energia Pessoal

 

KINERGIA | RUI MOURA | REIKI | SHIATSU | YOGA TIBETANO | COACHING | #ONESELF | TERAPEUTA | FORMADOR | CONSULTAS | WORKSHOPS | CURSOS | PALESTRAS | RETIROS |LISBOA | PORTO | MATOSINHOS | STRESS | ANSIEDADE | DEPRESSÃO | INSÓNIA | DOR EMOCIONAL | DOR FISICA | ALIVIO DA DOR | TRATAMENTO DE LESÕES | INFORMAÇÕES E MARCAÇÕES | KI@KINERGIA.PT | 961040539

A perda de energia pessoal pode ser manifestada de várias formas, tais como:

  • Falha de memória (a famosa “branca”)
  • Cansaço físico
  • O sono deixa se ser reparador
  • Ocorrência de doenças degenerativas e psicossomáticas
  • Quando o sofá torna-se mais convidativo do que outras atividades, como por exemplo o sexo
  • O crescimento pessoal, a prosperidade e a satisfação diminuem
  • Os talentos não se manifestam mais por falta de energia
  • O magnetismo pessoal desaparece
  • Medo constante de sermos magoados, aumentando a competição, o individualismo e a agressividade
  • Falta proteção contra as energias negativas e aumenta o risco de sofrer com o “vampiro energético”

Para evitar as crises energéticas pessoais, vamos conhecer as atitudes pessoais capazes de esgotar as nossas energias:

1. Maus hábitos e falta de cuidado com o corpo:

Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspetos básicos para a manutenção da saúde energética.

2. Pensamentos obsessivos:

Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar a remoer um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos (mal comum ao homem ocidental), torna-se escravo da sua mente e acaba por gastar a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade dos mesmos. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para a nossa vida.

3- Sentimentos tóxicos:

Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a autoestima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.

4- Fugir do presente:

As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: “bons tempos aqueles!”, costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam ao passado, como os que não conseguem esquecer os traumas, colocam a sua energia no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem à espera do futuro, depositando nele a sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.

5- Falta de perdão:

Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer o seu caminho livre, aberto para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e a si mesmo, fica “energeticamente obeso”, a carregar fardos passados.

6- Mentira pessoal:

Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e para não para sermos nós mesmos – a menina boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.

7- Viver a vida do outro:

Ninguém vive só e é através dos relacionamentos interpessoais que evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também a nossa individualidade. Este equilíbrio resguarda e carrega-nos energeticamente. Quem cuida da vida do outro, e sofre os seus problemas interferindo mais do que é recomendável, acaba por não ter energia para construir sua própria vida. O único prémio, nesse caso, é a frustração

8- Desorganização e projetos inacabados:

A desorganização afeta muito as pessoas, e causa confusão mental e emocional. Um bom truque para quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos. À medida que organizamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá um alívio. Não terminar as tarefas é outro “escape” de energia. Sempre que não concluis uma tarefa, ela diz-te inconscientemente: “Tu não me terminaste! Tu não me terminaste!” Isto gasta uma energia tremenda. Ou tu a terminas ou te livras dela e assumes que não vais concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude.

O desenvolvimento do autoconhecimento, da disciplina e da determinação farão com que não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas vão consumir tempo e energia.

9 – Afastamento da natureza:

A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados da sua energia vitai.

Uma vida saudável, tal como é medida pela conservação do “Ki”, exige o seguinte:

  • Comida fresca
  • Água e ar puros
  • Sol
  • Exercícios físicos moderados
  • Respiração equilibrada e refinada
  • Comportamento não-violento e reverência pela vida
  • Emoções amorosas positivas; livre expressão das emoções

Pense na diferença entre uma salada feita com verduras recém-colhidas da horta e uma outra feita com as mesmas verduras compradas no supermercado. Compare um piquenique nas montanhas com uma refeição no restaurante, ou o sabor da água fresca da fonte com a água clorada de uma torneira na cidade. O frescor indica a presença de “Ki”; a falta de frescor indica sua ausência.

Livro: “Corpo Sem Idade, Mente Sem Fronteiras” – Deepak Chopra, M.D.

Sintonia e Aperfeiçoamento

 

KINERGIA | RUI MOURA | REIKI | SHIATSU | YOGA TIBETANO | COACHING | #ONESELF | TERAPEUTA | FORMADOR | CONSULTAS | WORKSHOPS | CURSOS | PALESTRAS | RETIROS |LISBOA | PORTO | MATOSINHOS | STRESS | ANSIEDADE | DEPRESSÃO | INSÓNIA | DOR EMOCIONAL | DOR FISICA | ALIVIO DA DOR | TRATAMENTO DE LESÕES | INFORMAÇÕES E MARCAÇÕES | KI@KINERGIA.PT | 961040539

É no mundo mental que se processa a gênese de todos os trabalhos da comunhão de espírito a espírito, não obstante as possibilidades de fenômenos naturais, no campo da matéria densa… Daí procede a necessidade de renovação idealística, de estudo, de bondade operante e de fé ativa, se pretendemos conservar o contato com os Espíritos da Grande Luz.

Simbolizemos nossa mente como sendo uma pedra inicialmente burilada. Tanto quanto a do animal, pode demorar-se, por muitos séculos, na ociosidade ou na sombra, sob a crosta dificilmente permeável de hábitos nocivos ou de impulsos degradantes, mas se a expomos ao sol da experiência, aceitando os atritos, as lições, os dilaceramentos e as dificuldades do caminho por golpes abençoados do buril da vida, esforçando-nos por aperfeiçoar o conhecimento e melhorar o coração, tanto quanto a pedra burilada reflete a luz, certamente nos habilitamos a receber a influência dos grandes gênios da Sabedoria e do Amor, gloriosos expoentes da imortalidade vitoriosa, convertendo-nos em valiosos instrumentos da obra assistencial do Céu, em favor do reerguimento de nossos irmãos menos favorecidos e para a elevação de nós mesmos às regiões mais altas.

A fim de atingirmos tão alto objetivo é indispensável traçar um roteiro para a nossa organização mental, no Infinito Bem, e segui-lo sem recuar. Precisamos compreender – repetimos – que nossos pensamentos são forças, imagens, coisas e criações visíveis e tangíveis no campo espiritual. Atraímos companheiros e recursos, de conformidade com a natureza de nossas idéias, aspirações, invocações e apelos. Energia viva, o pensamento desloca, em torno de nós, forças sutis, construindo paisagens ou formas e criando centros magnéticos ou ondas, com as quais emitimos a nossa atuação ou recebemos a atuação dos outros.

Nosso êxito ou fracasso dependem da persistência ou da fé com que nos consagramos mentalmente aos objetivos que nos propormos alcançar. Semelhante lei de reciprocidade impera em todos os acontecimentos da vida. Comunicar-nos-emos com as entidades e núcleos de pensamentos, com os quais nos colocamos em sintonia. Mentes enfermiças e perturbadas assimilam as correntes desordenadas do desequilíbrio, enquanto que a boa vontade e a boa intenção acumulam os valores do bem.

Ninguém está só.

Casa criatura recebe de acordo com aquilo que dá. Cada alma vive no clima espiritual que elegeu, procurando o tipo de experiência em que situa a própria felicidade. Estejamos, assim, convictos de que os nossos companheiros na Terra ou no além são aqueles que escolhemos com as nossas solicitações interiores, mesmo porque segundo o antigo ensinamento evangélico, “teremos nosso tesouro onde colocamos o coração”.

Emmanuel – Chico Xavier

Reiki – A Arte de Convidar a Felicidade

RUI MOURA | TERAPEUTA E FORMADOR | REIKI | SHIATSU | COACHING | YOGA TIBETANO | CONSULTAS | AULAS PARTICULARES| EMPRESAS | CURSOS | PALESTRAS | RETIROS |LISBOA | CASCAIS | LINDA-A-VELHA | CARCAVELOS | PORTO | MATOSINHOS | STRESS | ANSIEDADE | DEPRESSÃO | INSÓNIA | ALIVIO DA DOR | TRATAMENTO DE LESÕES

O Reiki é um método de canalização de energia curativa pela imposição das mãos. A palavra REI (universal, sem limites) e KI (energia vital) é japonesa, assim como este método. Contudo, a prática de transferência de energia através das mãos para a cura, já vem desde tempos remotos.

É a energia da qual têm falado muitas religiões, filosofias e culturas com nomes tão diversos como prana para os hindus, mana para os kahunas, energia bioplasmática para os investigadores russos e chi para os chineses.

Todos temos e podemos usar a energia de Reiki para ajudar a nós próprios e aos que estão à nossa volta. Não é necessário nenhuma condição especial para usar esta energia. Este “poder” é ativado através de uma processo de iniciação ou sintonização, o que a diferencia de outras técnicas de cura.

Qualquer pessoa pode por as suas mãos sobre a outra e acelerar o processo de cura, transferindo esta energia de natureza eletromagnética do seu próprio corpo. Todavia, com as iniciações de Reiki o aluno está capacitado para canalizar a Energia Universal, usando um método antigo para elevar o seu corpo físico e corpo subtil a níveis mais elevados de vibração. Nesse processo de sintonização são “abertos” os canais e centros energéticos chamados chacras.

O praticante de Reiki não se sente cansado ao dar um tratamento. Explicando de uma forma simples, a Energia universal é ilimitada e na sessão de Reiki entra pelo chacra coronário (situado no topo da cabeça) passa pelos centros energéticos superiores e depois para os braços e mãos até ao paciente. Uma parte dessa energia fica sempre no corpo da pessoa que está a canalizar Reiki.

A energia passa através do praticante por “canais purificados” chamados “nadis”, abertos nas iniciações e graças aos quais, o praticante de Reiki não usa a sua própria energia nem recolhe nada do seu paciente.

Uma das vantagens do Reiki é a possibilidade de auto tratamento, que se traduz numa ferramenta muito eficaz para conseguir um maior relaxamento e cura. Com o Auto-Reiki, a energia trabalha sobre nós mesmos ao nível físico (para diminuir e eliminar a dor, por exemplo), ao nível mental-emocional, ajudando assim a libertar bloqueios energéticos, que de outro modo poderiam no futuro gerar alguma enfermidade.

O caminho do Reiki é um caminho que nos permite expressar um amor impessoal através da Energia Universal. Amor, primeiro a nós mesmos, como manifestação desta Energia Universal, facilitando o nosso desenvolvimento pessoal e espiritual; e amor ao próximo, ao atuar como canal desta energia em seu benefício.

As raízes teóricas e práticas do Reiki fundamentam-se numa rica mistura do Budismo Esotérico, do Qi Gong, do Xamanismo e Xintoísmo Japonês e sua beleza reside na unificação do conhecimento num método simples de todos estes múltiplos aspetos.

O Reiki não é semelhante à arte de curar no nível físico e psicológico, pois afeta mais do que o corpo físico, vai muito além dele, abrange também o corpo emocional, mental e espiritual. A cura é apenas um dos aspetos importantes do trabalho com o Reiki na relação cura/doença. O Reiki faz a sua verdadeira magia na ampliação da consciência e na realização da impermanência da vida expressa na frase com que começamos a recitar os 5 Princípios: SÓ POR HOJE!

Cura, trabalho com energia, terapia, etc., são apenas atributos com os quais revestimos o Reiki, de modo a torná-lo mais fácil de entender e de ser apreendido pela mente racional. Um artista aprenderá a transformar a energia em arte com mais facilidade, um homem de negócios transformará o Reiki em prosperidade e abundância e um cozinheiro criará pratos carregados de energia vital. Um mestre na arte de viver, transformará o Reiki em Prazer de estar vivo, Amor e Felicidade

O Reiki é um caminho de humanização, embora estejamos na Terra como humanos, esse estado é limitado e cheio de potencial. E, nesta vida, é-nos permitido lutar pela nossa realização pessoal. Através do Reiki podemos unir Céu e Terra. Ele é nossa raiz energética aqui na Terra, e quanto mais enraizados estivermos, mais alto nossa coroa se estenderá em direção ao Céu

O Reiki é um sistema de autoajuda perfeito, que se ajusta àquele que o usa e não requer intermediários, independentemente de ser um iniciado no mundo espiritual, um intelectual calejado, um estudante de yoga que trabalha o corpo, uma dona de casa ou um homem devoto. Ele põe-nos de novo em contacto com a energia vital há muito esquecida, mas que tudo permeia, e ensina-nos como nos amar a nós mesmos… de novo.

Importante mesmo… é praticar Reiki.

Artigo de Rui Moura

Imagem: Google

Como podes viver a tua energia Yang

RUI MOURA | TERAPEUTA E FORMADOR | REIKI | SHIATSU | COACHING | YOGA TIBETANO | CONSULTAS | AULAS PARTICULARES| EMPRESAS | CURSOS | PALESTRAS | RETIROS |LISBOA | CASCAIS | LINDA-A-VELHA | CARCAVELOS | PORTO | MATOSINHOS | STRESS | ANSIEDADE | DEPRESSÃO | INSÓNIA | ALIVIO DA DOR | TRATAMENTO DE LESÕES

“Yin e Yang são os princípios do céu e da terra, os princípios e ordem das 10 mil coisas. O pai e a mãe da mudança e da transformação, a raiz do princípio da vida e da morte”.

Existe um estado uno, um estado primordial em que a energia não é dual, não está dividida. Quando este estado começa a manifestar-se, aparece o movimento, o Qi começa a mexer-se. Quando o Qi começa a mexer-se, aparece Movimento, aparece Transformação, aparece o yang. Este estado do Universo antes do movimento simboliza-se sempre como um círculo vazio. Neste estado não existem extremos, não existem polos, não há yin e yang. Chama-se Sem extremos Wu Qi. Então podemos dizer que Yin-Yang é o um que ao dividir-se converte-se em dois.

Entre Yin-Yang há relações de antagonismo e de unidade e o antagonismo e a unidade de yin-yang resumem as leis do universo. O antagonismo e a união são o fenómeno mais geral do universo. Mas, o que é o principal e o que é o secundário? Isto define-se observando a situação concreta, ou seja, para a condição o principal e o secundário podem variar.

O yang tem de estar enraizado em yin, ou seja, o masculino tem estar ancorado no feminino, a força emparelhada com a suavidade. A força, o movimento, o poder, a manifestação, ação, o masculino em todo o seu potencial, são tudo atributos de yang. Estes atributos estão sempre em oposição complementar e interdependência com yin.

Não podemos falar de yang sem falar em yin. Mas podemos salientar o que é yang e de que forma é que ele se manifesta na nossa vida. Como podemos viver a energia yang, como podemos viver, reconhecer e manifestar o masculino que habita em nós, homens e mulheres

Se pensarmos por exemplo em marciais, estas são por definição a exaltação do yang, do poder, da força e do movimento em que o yin se encontra mais escondido, menos evidente, mas sempre presente. Procuramos aqui a mestria e o domínio de yang. E quando conseguimos enraizar yang com yin, poder com suavidade, o masculino com o feminino. Conseguimos conciliar amor e liberdade, que vejo como yin e yang supremos.

Penso agora no meu filho que praticou judo e agora ballet. E pensar nestas duas modalidades em termos de yin e yang é interessante. A energia masculina está presente em ambos mas expressa-se de forma diferente mais evidente no judo e mais subtil no ballet.

Em todas as áreas da nossa vida, só avançamos com a energia masculina, decidir, co-criar, manifestar é sempre feito com recurso a yang. É yang que desbloqueia e abre caminhos, que põe em movimento.

Sempre que precisamos de ter mais nitidez na vida. Só temos uma forma, é decidir. E a partir daí surge a ação. O fazer, o por em prática, pode ser tão forte e intenso como o “judo” ou tão gracioso e harmonioso como o ballet. Sempre ancorado na dose correta de yin de energia feminina.

Isto é válido para homens e mulheres, percebendo que yin e yang é parte da nossa natureza e que ambos têm de ser trabalhados de igual forma. Neste caso, reconhecer o seu yang, a sua força, o seu poder, seja de que natureza for, é abrir-se e entregar-se à manifestação do seu conceito como o pensou e sentiu. A negação da energia masculina, resulta em estagnação e bloqueio, gera um estado de degeneração daquilo que é, porque a natureza da energia é movimento e se yang não guia yin, se o masculino não guia o feminino, o feminino desagrega-se e o ser sofre.

A minha pergunta é: Qual é o seu conceito? Como é que o vai manifestar? O que é que vai fazer? Quando? A quem é que pode pedir ajuda? O que é que pode fazer já hoje? E amanhã? E com quem?

A energia que alimenta tudo isto é yang. Sinta o seu yang e faça, concretize e realize!

Artigo de Rui Moura

20 coisas que eles não nos disseram

#ruimoura #terapeuta #formador #reiki #shiatsu #coaching #yogatibetano #consultas #aulasparticulares #empresas #cursos #palestras #retiros #lisboa #cascais #lindaavelha #carcavelos #porto #matosinhos #stress #ansiedade #depressão #insónia #aliviodador #tratamentodelesões #dorfisica #doremocional 

Um dia fomos crianças adoráveis com pele macia e bochechas redondas. Um dia fomos jovens com amigos, estudos e férias intermináveis.

Um dia fomos adultos e não estávamos nada preparados para isso. Dava jeito que os crescidos nos tivessem preparado para algumas coisas que íamos encontrar, porque assim talvez a vida fosse mais fácil. Aqui fica uma lista de 20 coisas – pouco ou muito importantes – que eles não nos disseram:

1. Trabalhar dá trabalho. Estudar dá trabalho. Fazer uma coisa bem feita dá trabalho.

2. É estúpido tentar agradar a toda a gente. É impossível forçar alguém a gostar de nós, muito menos com frases feitas e poses estudadas.

3. É impossível não errar. Sempre que fazemos uma coisa nova, vamos começar por fazê-la mal.

4. Pôr dentes debaixo da almofada não dá dinheiro. O dinheiro custa a ganhar – ainda mais do que perder dentes – mas desaparece num instante.

5. Ter medo é normal. Não há problema em sentir medo, desde que façamos o que temos a fazer, apesar do medo.

6. Não há famílias perfeitas. Cada família é funcional e disfuncional de uma forma única.

7. Não há pessoas perfeitas. Se alguém que admirávamos nos desilude, é porque estávamos iludidos.

8. Somos mais do que as coisas que fazemos. É possível ter feito asneirada e continuar a ser boa gente.

9. Vamos sofrer. O mundo não é côr-de-rosa, e há coisas que nos vão magoar. Mas não adianta nada preocuparmo-nos com isso.

10. Há coisas contagiosas. Como o bocejo, o riso ou o herpes labial.

11. As relações não são como nos filmes. Estar casado não é um mar de rosas e ninguém está sempre apaixonado.

12. Amar uma pessoa a sério dá muito trabalho. Mas vale a pena.

13. O barulho do mar não fica armazenado dentro dos búzios. Nem a água das piscinas é azul.

14. Há coisas que não mudam. Há situações e pessoas que não vão mudar, mas a nossa forma de lidar com isso pode sempre mudar.

15. Apanhar um escaldão não é sexy. Nem apanhar uma bebedeira. Nem dizer palavrões.

16. O mundo real é melhor que o virtual. A internet é simpática mas uma conversa ao vivo é melhor.

17. O papel higiénico acaba-se. Tal como todas as coisas que se compram. Só não se acaba o que não tem preço.

18. Não se pode acreditar em tudo o que nos dizem. Há quem não faça o que diz, e há quem não diga o que faz.

19. Querer estar em todo o lado ao mesmo tempo não é possível. Nem é o que nos faz mais felizes.

20. Há listas de bons conselhos que não servem de nada, porque há coisas que só se aprendem se forem vividas.

Fonte: www.inesperado,org

Imagem: Google

Consultas c/ Rui Moura em: LISBOA | CARCAVELOS | PORTO

KINERGIA TERAPIAS GERAL

Como Terapeuta procuro uma abordagem integrada e multidisciplinar de forma a poder disponibilizar o melhor recurso para que a sua passagem por mim seja lembrada como um momento decisivo de cura, equilibro e transformação pessoal.

A minha abordagem, tem sempre uma intenção terapêutica, de desenvolvimento da autossuficiência e responsabilização pela própria cura.

Quero contribuir, de forma ativa e significativa no seu processo de cura, auto-descoberta e evolução pessoal. Marque a sua consulta e teste-me!

Disponível para a realização de consultas e aulas particulares de Reiki, Shiatsu, Coaching & Aconselhamento e Yoga Tibetano.

 

Informações e Marcações: 961 040 539 e ki@kinergia.pt

 

Locais de Consulta:

STUDIO RDV LISBOA
Rua Conde Redondo 89
SINERGIA CORPO E MENTE CARCAVELOS
Rua Fernado Lopes Graça
CHI CLINIC PORTO
Praça do Bom Sucesso, 131 – Sala 406
YOGA PROJECT PORTO MATOSINHOS
Avenida da República 181 – C.C. Atlântico

As mulheres são o sexo fraco, diz a maior mentira da história | Crónica SUPA-WOMAN

– Crónica SUPA-WOMAN

KINERGI | Crónia SUPA-WOMAN

Tens coragem de seres tu?

Existem seres que aparentemente nos ferem com a sua sinceridade, mas não é a sua sinceridade que nos fere. É a nossa própria falsidade (pausa obrigatória, respira e pensa).

Quem é autêntico não tem de ter cuidado com o que diz, porque tudo o que faz é verdadeiro. E esta verdade, apenas causa dor a quem vive longe de si.

Viver longe de mim, só me trouxe insatisfação e sentimentos meios. E os sentimentos cheios, esses, eram ilusórios e distorcidos porque não emanavam do meu centro que já não sabia onde era. O resultado foi um acumular de máscaras e anuências perante aquilo que eu queria e não tinha coragem de dizer. As máscaras, que a principio pareciam leves, foram pesando, e com os anos tornaram-se ferro que me vergou a alma e deixou uma corcunda no Ser.

Cedi muitas vezes:

  • a interesses alheios,
  • a interesses menores,
  • diminui-me para não ofuscar e incomodar,
  • disse não e sim para me encaixar na expectativa do outro,
  • fiz o que era esperado (pensava eu) e aluguei a minha vontade, vezes sem conta, sem vontade nenhuma de o fazer, apenas porque… sei lá, já nem queria saber.

E o não querer saber, é que nos mata.

ATÉ QUE UM DIA SEM FORÇAS PARA CONTINUAR COM A FARSA, PAREI! E pela primeira vez em muito tempo, ouvi-me, senti-me e tomei consciência da minha insatisfação profunda. Pouco a pouco, disse basta. Avancei para depois recuar e avançar de novo na direção daquilo que é certo para mim, sempre, sem parar.

Eu só queria ser feliz e sabia que tinha direito a isso. Sempre soube. Sabemos sempre!

Quem é autêntico:

  • não quer mudar ninguém, só a si mesmo,
  • não quer saber o que os outros pensam ou dizem, porque está focado em ouvir a sua voz interior,
  • segue sempre o coração e vive perto da sua intuição,
  • a sua mudança é a única mensagem que tem para o mundo.

O Ser Autêntico, sabe que vai cometer erros. Mas não vai sorrir quando está zangado, pois o seu sorriso vai ser falso e ele não se trai.

Durante o caminho todos nos querem mudar e reprimir, todos têm uma opinião sobre a direção a seguir. Mas quem o faz, quem é autêntico, atinge uma graça, uma beleza e uma felicidade que não pode ser imaginada. É por isso que de todas as qualidades humanas, talvez a autenticidade seja a mais importante de todas. Ser, começa sempre com um impulso movido a coragem. Tem coragem de Ser!

As mulheres são o sexo fraco, diz a maior mentira da história. Se eu tive a força, porque ainda duvidas da tua? É por isso que estou onde quero e não onde me impõem.

Espelho meu, espelho meu, existe alguém mais precioso do que eu?

Rui Moura

Para conheceres o site supa woman clica aqui
Para leres todos os meus textos clica aqui
Para fazer like e partilhar esta artigo clica aqui

A noite escura da alma

– Crónica Supa Woman

 

Regra geral o que sabemos de nós é a opinião dos outros sobre a nossa pessoa. Se alguém diz que somos maus, sentimo-nos maus, se alguém diz que estamos doentes, sentimo-nos doentes. Só nos sentimos belos ou bons quando alguém expressa essa opinião sobre nós mesmos.

Ficamos tão dependentes da opinião do outro que se cria uma espécie de escravatura subtil em que nos vamos enredando cada vez mais. Escravatura essa que é auto-imposta e nos vai retirando cada vez mais a liberdade de ser. As nossas opções naturais e espontâneas são cada vez menos exercidas e todas as nossas escolhas tem de ser validadas exteriormente.

Cometes um suicídio lento e agonizante da tua alma cada vez que entregas o teu poder pessoal ao outro, à sua opinião, à sua validação. E o mais engraçado de todo este processo é que lentamente vais adormecendo para a tua não necessidade de validares externamente cada vestido, cada sapato, cabelo, estilo de vida, opção sexual e alimentar, ação, palavra ou pensamento.

Somos animais presos pela trela da opinião alheia!

Mas isto é apenas o princípio do pesadelo. Cada pessoa com quem entras em contacto, cada notícia ou anúncio que lês, cada post no facebook, introduz uma ideia na tua cabeça. Olha a ironia, eu estou a fazê-lo neste momento!

Como há muitas pessoas e todas a expressar a sua opinião sobre ti, estás constantemente a alimentar a tua mente com opiniões diferentes sobre a tua pessoa.

Daí a grande confusão que existe dentro de ti. Se alguém diz que és inteligente e outra diz que és estúpida como é que resolves este paradoxo? Como decidir quem tem razão? Ficas dividida, com dúvidas sobre quem és!

Ninguém te conhece, nem tu mesmo te conheces, verdadeiramente. É toda uma coleção de informações e opiniões que se amontoa dentro de ti. Cada vez que perguntas quem és, surgem muitas respostas. Algumas são do pai, outras são da mãe, do professor, do guru, do amigo e assim sucessivamente.

Como decidir qual é a resposta certa? Qual é o critério válido?

É de enlouquecer e é aqui que o ser humano se perde. Nunca poderemos chegar ao verdadeiro conhecimento de nós próprios rodeados de pessoas, temos de nos isolar para chegar ao nosso “eu” mais profundo. Mas como estamos dependentes dos outros, fazemos constantemente concessões às pessoas de quem estamos dependentes.

Como estamos dependentes temos de medo de viajar para o nosso interior. Sentimo-nos perdidos porque a nossa bússola é externa e qualquer opinião que seja formada a partir dos outros tem de ficar para trás e é isso que torna a nossa viagem interna assustadora.

Quanto mais profundo no nosso ser, menos sabemos quem somos. É por isso que todas as ideias preconcebidas que temos de nós próprios têm de ficar para trás.

Ficamos completamente perdidos numa espécie de Não-Identidade, porque tudo o que conhecemos deixa de ser importante e aquilo que é, ainda não foi revelado.

É a este estado que os místicos chamam de “Noite Escura da Alma”. Temos de passar por ela para chegar à nossa essência. Pois é certo que a noite acabará e quando chegar o amanhecer, com os primeiros raios de sol, tudo fará sentido. Para nos encontramos, temos primeiro de nos perder sem bússola, sem mapa, para lá de onde os nossos olhos alcançam.

Tenham coragem com a certeza de um amanhecer feliz!

Rui Moura

Para conheceres o site supa woman clica aqui
Para leres todos os meus textos clica aqui
Para fazer like e partilhar esta artigo clica aqui

Mikao Usui e as Artes Marciais

KINERGIA | Mikao Usui

Mikao Usui, fundador do sistema de Reiki conhecido como Usui Shiki Ryoho, tinha como ancestrais o clã Chiba, outrora muito influente durante a época feudal no Japão. Os membros da sua família eram samurais Hatamoto, o que significa que serviam diretamente o Xogum (comandante do exército e senhor feudal).

Mikao Usui foi criado como um samurai desde a sua infância e o treino das artes marciais fez parte do seu crescimento. Treinou Aiki-Jujutsu, que é uma das mais antigas e refinadas artes de combate originadas no Japão.

Praticada antigamente pelos nobres japoneses, pela sua riqueza de conhecimento e dificuldade, crê-se ter sido uma das primeiras formas de defesa pessoal do Japão feudal. A complexidade deste método consagrou-a como uma arte de elite militar. A sua dificuldade encontra-se exatamente na harmonia interior do praticante, que não se deixa levar por qualquer emoção que afetasse a sua técnica.

KINERGIA | Mikao Usui e as Artes Marciais

Na prática de Aiki-Jujutsu está incorporada a prática de Kiko, sistema de Qi Gong japonês em que se trabalha a transformação e o domínio do Ki ou energia vital. No Kiko, também se pratica a transferência de energia com as mãos para a cura. Existem referências que Usui não era grande adepto de Kiko para a cura, pois implicava um grande trabalho de geração e reposição de energia vital do praticante após uma sessão de cura.

Usui foi um praticante exímio de Aiki-Jujutsu e por esse facto recebeu o Menkyo Kaiden, que é uma licença de completa e total transmissão. É um certificado dado nas artes tradicionais a quem demonstra total proficiência dentro de uma linhagem ou estilo. Este certificado, normalmente, denota um grande nível de habilidade e domínio de todo o sistema por parte de quem o recebe. Em algumas linhagens o Menkyo Kaiden, apenas pode ser dado ao Grão-Mestre.

KINERGIA | Menkyo Kaiden

Numa era de surgimento dos grande nomes das artes marciais modernas Mikao Usui mantinha laços de amizade com Morihei Ueshiba, fundador do Aikido. O seu treino nas artes marciais, em Kiko, juntamente com outras práticas de natureza mais esotérica e religiosa como Shujendo, Budismo Tendai foram determinantes para o seu satori (realização) no Monte Kurama aos 57 anos de idade e que nos permite hoje usufruir da bênção da prática de Reiki.

Neste artigo pretendo de alguma forma salientar a importância da prática de atividades de natureza mais ativa e física como Tai-Chi, Qi Gong, Yoga e artes marciais tradicionais que foquem o trabalho desenvolvimento do Ki interno. A energia de Reiki precisa de um corpo apto e capaz de captar e transmitir o Ki externo. Qualquer que seja o teu nível de prática, se adicionas uma prática física que cuide do corpo, ative e abra os teus canais energéticos, de certeza que a tua prática de Reiki melhora também. Experimenta, se serviu a Mikao Usui, também deve ser bom para nós.

Boas práticas e bom Reiki